sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Bira do Pindaré pode deixar o PT por estar insatisfeito com posições políticas do partido

                                                     Deputado Estadual se diz insatisfeito com o partido (GILSON TEIXEIRA/OIMP/DAPRESS)

Insatisfeito com a forma que está sendo conduzida as posições políticas do Partido dos Trabalhadores, o deputado estadual Bira do Pindaré pode deixar a legenda. Hoje o parlamentar é o único que ocupa o campo da oposição dos representantes do PT na Assembleia Legislativa. Apesar disso, o legislador compõe as fileiras do Bloco da União Democrática no parlamento maranhense.

“Eu particularmente confesso que tenho uma grande duvida se permaneço ou saio do PT por conta da situação vivida aqui no Maranhão. É uma dúvida que nós vamos dirimi-la através das discussões nas bases do próprio 
partido e nos movimentos sociais sobre qual rumos nós vamos tomar. Minha vontade é que o PT retomasse sua posição no campo das oposições. Espero que a gente tenha força para conseguirisso o mais breve possível.”, explica o deputado.

Segundo Bira, o PT sofreu uma intervenção que resultou na aliança com o PMDB, o que acaba violando o que havia de mais importante que era sua democracia interna: “Uma decisão da base foi rasgada em prol de acordos políticos feitos. Isso foi extremamente dolorido”, conta ressentido.

Em entrevista ao O Imparcial sobre os 33 anos do PT, Bira afirmou que maior desafio do partido é resgatar sua própria historia: “Tem que se retomar pelo menos os princípios básicos que nortearam sua democracia interna. O partido precisa se renovar, de alternância precisa de oxigênio. Atravessou e atravessa uma crise, mas essas situações não são irreversíveis, o partido pode dar volta por cima, inclusive aqui no Maranhão que o desafio é maior”, declarou.

2014
O petista afirma que existem três correntes no PT neste momento: “Aqueles que defendem manter a aliança com o governo; aqueles que defendem uma aliança com a oposição que é o meu caso e a corrente de que devemos ter uma candidatura própria. 

Isso vai ser resolvido no inicio do próximo ano, mas nós vamos ter uma eleição interna no no final desse ano chamada PED (Processo de Eleição Direta) que deve escolher o novo comando do partido no estado e isso pode ter um forte impacto no Maranhão”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge