segunda-feira, 1 de abril de 2013

não é MENTIRA PSDB quer apoiar Roseana




Prefeito de Imperatriz declara seu posicionamento favorável em relação ao candidato que for indicado pelo governo do estado. Partido diz que situação ainda estar indefinida



O PSDB pode ser uma peça-chave no jogo da eleição de 2014. O partido com 52 deputados federais possui o terceiro maior tempo de televisão entre os atuais 30 partidos, atrás apenas de PT e PMDB. O partido no Maranhão ainda busca um rumo para 2014, após os resultados ruins nas eleições municipais do ano passado no Estado. Os tucanos ainda se recuperam do baque, mas além de escolherem um caminho, precisam pensar a nível nacional, já que o partido deve ter candidatura própria na disputa pela presidência da república, com Aécio Neves (PSDB).

O prefeito de Imperatriz, segunda maior cidade do Maranhão, Sebastião Madeira (PSDB), defende de maneira aberta a aliança com o candidato indicado pelo governo do estado, que deve ser o secretário de Infraestrutura, Luís Fernando Silva (PMDB). As divergências devem se intensificar no partido, principalmente com a chegada da convenção nacional da legenda no dia 30 de abril.

Em recente reunião da cúpula do PSDB no Maranhão, Madeira deixou claro aos colegas de partido que apoiará a aliança com o PMDB. O prefeito justifica alegando que não vislumbra alternativa viável no Maranhão. Para ele as duas candidaturas com chances de vitória são somente a de Flávio Dino (PCdoB) e a do candidato indicado pelo governo, e com Flávio ele não vai. “O partido não tem perspectivas de lançar candidatura própria. Eu fui fiel ao Jackson Lago todo o tempo. Após sua morte, eu procurei o governo que tem feito parcerias importantes com Imperatriz. Politicamente é mais difícil uma aliança com o PCdoB, que tem as correntes mais xiitas. Objetivamente falando, os benefícios para Imperatriz serão maiores em uma aliança com o PMDB”, avalia.

Madeira lembrou o ressentimento com o PCdoB, ainda por ter apoiado a candidatura de Carlinhos Amorim (PDT) em Imperatriz, e por ter levado para o PCdoB o vereador mais votado da cidade do PSDB, mantendo os comunistas e Imperatriz na oposição ao seu governo.
Sobre como a cúpula nacional da legenda iria avaliar uma aliança com o grupo Sarney, Madeira disse que já conversou pessoalmente com o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, sobre sua posição e não irá mudar. “O presidente acenou que vê com mais simpatia uma aliança com o PMDB do que com o PCdoB”.

O presidente estadual do PSDB, deputado federal Carlos Brandão (PSDB) afirmou que a posição do partido será construída com toda a base e não uma imposição de cima para baixo
pelo interior do Estado.

Brandão, embora tente evitar polêmica com Madeira, alertou para o fato de que todas as decisões têm que passar pelo objetivo do partido que é não sair menor do que está hoje no cenário nacional e estadual. O partido possui dois deputados federais e dois estaduais. A pretensão do presidente da legenda é que o partido eleja mais, mas na pior das hipóteses, a mesma quantidade de deputados. “Temos correntes dentro do partido que defendem todas as teses: aliança com governo, aliança com Flávio Dino e candidatura própria. O principal objetivo é não sairmos da eleição, um partido menor. Às vezes um membro quer resolver seu interesse expondo o partido a ficar menor. Não podemos agradar o interesse de um colega deixando o partido menor”, afirmou.
Por esta razão, o líder tucano acha pouco provável a candidatura própria, a não ser que o partido consiga reunir outras forças em uma coligação. Uma vez que se lançar candidato próprio em chapa puro sangue, enfraquecerá os candidatos a deputados, que teriam mais chances de se eleger dentro de uma coligação. 
O deputado federal diz que apesar das pressões para que a decisão saia logo, o partido irá dialogar com toda a base.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge