sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Flamengo vence e ultrapassa o Inter com salto na tabela

                          flamengo
Com contrato só até dezembro, Léo Moura, aos 34 anos, dá provas que ainda tem fôlego para realizar o desejo de permanecer no Flamengo até se aposentar. Na noite desta quinta-feira no Maracanã, o lateral-direito compensou alguns momentos de afobação na defesa com um gol e uma assistência na vitória por 2 a 1 sobre o Internacional. Resultado que fez o invicto Rubro-Negro sob o comando de Jayme de Almeida (em seis jogos, sendo um pela Copa do Brasil) chegar a 37 pontos, pegar o elevador e saltar de 12º para 7º lugar do Campeonato Brasileiro. E ultrapassando o próprio Colorado, com a mesma pontuação, mas com pior saldo de gols (2 contra -1). Hernane, artilheiro do Novo Maracanã com nove gols em nove jogos, também deixou a sua marca, enquanto Rafael Moura descontou para a equipe gaúcha.

O dia também foi de Felipe, goleiro que voltou ao time após se recuperar de um problema dentário. Bastante exigido, principalmente na etapa final, o camisa 1 fez três grandes defesas e também teve participação importante no triunfo do Fla, que contou com Elias e Luiz Antonio se desdobrando entre defesa e ataque para suprir a ausência de um Carlos Eduardo com mal-estar. Paulinho, com participação nos dois gols do time, foi outro destaque.
O Inter reagiu tarde demais quando Clemar pomoveu a entrada de um atacante com o mesmo sobrenome do destaque rubro-negro. Rafael Moura entrou, deixou sua marca e colocou gás nos 13 minutos em que ficou em campo. Mas o Colorado conheceu sua primeira derrota sob o comando do interino Clemer. Apesar da derrota, o ex-goleiro que substituiu Dunga no cargo está com prestígio entre a torcida, que levou uma faixa com a mensagem “fica Clemer” ara o estádio.
Na próxima rodada, o Flamengo volta a campo para o clássico contra o Botafogo, domingo, às 18h30m (de Brasília), de novo no Maracanã. Já o Inter recebe o lanterna Náutico, às 16h do mesmo dia, no Centenário.
Otávio desperdiça chance, Léo Moura aproveita
Se a pressa é inimiga da perfeição, ela é aliada do Flamengo. Contra um Inter fechado e num primeiro tempo de raras chances criadas, o Rubro-Negro cobrava rápido as faltas no meio de campo e fazia a bola corer com passes de primeira diante de uma defesa bem postada, mas lenta na marcação. Foi assim que Paulinho recebeu livre na área e assustou Muriel no primeiro chute do time, que demorou 16 minutos para sair. O Colorado até assustou primeiro. A pressa do Fla virava afobação na defesa, e os erros, comparsas da equipe gaúcha. No mano a mano com Otávio, Léo Moura e Chicão falharam feio ao tentar afastar o perigo, o jovem meia saiu duas vezes na cara de Felipe, mas parou nas mãos do goleiro. Já na tentativa de Amaral, o chute explodiu nas costas de Frauches e quase virou gol contra.
O Inter tinha a bola (chegou a 63% do controle da etapa) e a paciência necessária para cozinhar o Flamengo. Só que a armadilha não surtia o resultado previsto: na arquibancada do Maracanã, a torcida rubro-negra não se irritava; e no campo, o time demonstrava calma. Sem Carlos Eduardo, os volantes Elias e Luiz Antonio se alternavam nas subidas ao ataque. Foi assim que a bola foi parar na rede uma única vez no primeiro tempo. Num corta-luz do camisa 8 na área, Willians, Juan e D’Alessandro ficaram perdidos. E Léo Moura, que roubou a bola do camisa 10 colorado no início do lance, chutou de primeira no cantinho de Muriel aos 28 minutos. Primeiro gol do jogo, o segundo do lateral no Brasileirão.
Hernane faz mais um no Maraca, e Fla vence
Com o placar desfavorável, Clemer, em seu segundo jogo no comando do Inter, mudou a postura da equipe. Adiantou os jogadoes e passou a marcar a saída de bola do Flamengo para aproveitar a dose de afobação da defesa rival, que tinha em Frauches um zagueiro que não entrava em campo há quase seis meses e sentia a falta de ritmo. Além disso, Amaral também dava furadas na área, Felipe largou a bola após sair em cobrança de escanteio… Foi um “Deus nos acuda” na defesa rubro-negra. Só que quando pecisou, o goleiro estava lá e salvou um chute à queima-roupa de Leandro Damião, a primeira finalização do atacante na partida. O cansaço que já virou rotina nas etapas finais deu as caras novamente.
Ao ver os donos da casa recuarem, Clemer trocou Otávio por Alex Santana para ganhar em velocidade. Mas antes de o jogo virar ataque contra defesa, Léo Moura voltou a ser decisivo. O camisa 2 foi à linha de fundo e virou garçom de Hernane. Sozinho na segunda trave, o atacante artilheiro do novo Maracanã só escorou o cruzamento para fazer o segundo do Fla, aos 26 minutos. Só que ainda faltava muito para comemorar. Clemer foi para o tudo ou nada com um centroavante do mesmo sobrenome do jogador que estava desequilibrando: Rafael Moura entrou no lugar de Caio e também mostrou estrela. Logo no primeiro lance, desviou de cabeça a bola alçada de D’Alessandro e diminuiu, aos 36. Nos minutos finais, teve pressão, pedido de pênalti e milagre de Felipe. Mas o Rubro-Negro de Jayme, que só fez duas das três substituições – Fernando no lugar de Frauches e Val no de Hernane, no fim -, conseguiu se segurar.


Globoesporte.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge