quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Presidente do STF define situação de Pedrinhas como “horror”

   Classificando o local como “inadequado para um ser humano”, Barbosa atribui a Pedrinhas sinônimos como “horror” e “inferno”.
               Joaquim Barbosa STF 509x300 Presidente do STF define situação de Pedrinhas como “horror”
Com informações do jornal Folha de São Paulo
O tema foi abordado pelo ministro ao ser questionado por estudantes sobre as condições de Pedrinhas. A crise carcerária no estado já provocou a morte de 63 detentos no passado e de 05 somente neste ano. A penitenciária tem sido palco de cenas recorrentes de barbárie e violência.
Sobre isso, Barbosa declarou que as instalações são “inadequadas para um ser humano”. Ele também atribuiu o descaso com o Complexo Penitenciário de Pedrinhas e com outros presídios em situação semelhante ao fato de o tema não gerar votos.
“Políticos não ligam para esse problema porque não dá retorno político, não dá votos” e completou “O Brasil tem uma cultura de violência, e as vítimas mais freqüentes são os negros”, afirmou Barbosa.
Estatísticas
As frequentes mortes nos presídios maranhenses chamam a atenção da mídia nacional e internacional. Ontem (29) foi divulgada a morte de mais um detento, que passou a compor as preocupantes estatísticas de desrespeito às garantias dos direitos humanos nas penitenciárias maranhenses.
Valdiano Fernandes da Silva, 27 anos, foi assassinado na Unidade Prisional de Ressocialização de Balsas. Ele é o quinto detento assinado nos presídios maranhenses somente neste ano.
Esse conjunto de fatos motivou o Conselho Federal da OAB a divulgar intenção de entrar com uma ação civil contra o governo do Maranhão para responsabilizá-lo pelas constantes mortes que ocorrem no sistema prisional do estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge