sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Bandidos voltam a atacar em São Luís

Ação criminosa aconteceu no início da noite desta quinta-feira (20).
De acordo com a Secom, ninguém ficou ferido; uma pessoa foi presa.

               Princípio de incêndio foi registrado próximo ao local de um dos ataques em janeiro (Foto: Douglas Júnior/O Estado)

Uma tentativa de incêndio a ônibus da empresa Gonçalves foi registrada na noite desta quinta-feira (20), no bairro João Paulo, em São Luís. De acordo com as primeiras informações repassadas ao G1 pela Secretaria de Comunicação Social do Maranhão (Secom), ninguém ficou ferido.
A tentativa de incêndio aconteceu na Avenida São Marçal, nas proximidades da agência do Bradesco e, segundo testemunhas, teria sido praticada por três adolescentes. Os suspeitos anunciaram o crime no momento em que 10 pessoas estavam no veículo. Os passageiros conseguiram fugir do ônibus junto com o motorista e cobrador.
Princípio de incêndio foi registrado próximo ao local de um dos ataques em janeiro (Foto: Douglas Júnior/O Estado)Tentativa foi registrada próximo ao local de um dos ataques de janeiro (Foto: Douglas Júnior/O Estado)
Motoristas de outros veículos perceberam a situação e ajudaram a apagar o fogo. O Corpo de Bombeiros foi acionado e reforçou a ação. O ônibus ficou parcialmente destruído. Os suspeitos do crime conseguiram fugir, mas cerca de duas horas depois, policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar prenderam um jovem de 18 anos, próximo ao local do ataque.
Segundo a polícia, o suspeito foi reconhecido pelo cobrador do ônibus. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que as polícias Civil e Militar já reforçaram o patrulhamento em toda a cidade, com operações, incursões e blitz em diversos bairros de São Luís.


Violência
Uma onda de ataques aconteceu no dia 3 de janeiro, em São Luís, depois de uma operação da Tropa de Choque da Polícia Militar, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.
Quatro ônibus foram incediados e duas delegacias foram alvejadas. Cinco pessoas ficaram feridas, entre elas, a menina Ana Clara Santos Sousa, de 6 anos, que morreu após ter 95% do corpo queimado.
Segundo a polícia, as ordens para os ataques partiram de dentro do presídio de Pedrinhas. Um dia antes, dois presos foram encontrados mortos na penitenciária.
Um plano emergencial de combate à crise do sistema carcerário do Estado foi anunciado pelo ministro da Justiça José Eduardo Cardozo junto com a governadora Roseana Sarney (PMDB).
Medidas do plano emergencial do governo estadual e federal
1. A criação do Comitê Gestor de Ações Integradas;
2. Remoção de presos;
3. Mutirão das Defensorias Públicas;
4. Plano de ação integrada de inteligência prisional;
5. Reforço no auxílio da Força Nacional;
6. Plano de Ação Integrada de Inteligência e Segurança Nacional;
7. Implantação de núcleo de atendimento a familiares de presos (saúde e assistência psicológica);
8. Integração do Ministério Público e Poder Judiciário;
9. Implantação de plano de atendimento e capacitação para policiais que estão envolvidos diretamente em ações de segurança;
10. Penas alternativas e monitoramento eletrônico;
11. Construção de novas unidades prisionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge