domingo, 30 de março de 2014

Elisiane Gama Agora é Flávio Dino


Nos bastidores dizem que já está tudo acertado e o anúncio de que Eliziane Gama (PPS) apoiará a candidatura de Flávio Dino (PCdoB), fica por questões de dias. A deputada estadual que afirmou por meses que seria candidata ao governo, deve abrir mão da disputa e integrar a frente oposicionista, que já conta com sete partidos.

A personagem principal dessa articulação ainda não confirma o acerto, mas admite que está sendo muito difícil manter a sua candidatura. “Tenho tentado trazer partidos, mas não está fácil e tenho compreensão que meu nome poderia acabar sendo abafado, caso eu decida disputar a eleição sem o apoio de pelo menos um partido, uma vez que o Flávio pode chegar a 10 minutos e o Luís Fernando a 15 minutos”, comentou.

Os próprios aliados da pré-candidata admitem ser inviável manter essa postura. Vieira Lima – presidente do diretório municipal do PPS – disse ter a certeza que ela será candidata à deputada federal. “Eu já declarei apoio ao Flávio, o Paulo Matos, Batista Matos e o Pastor Porto também, então será um caminho natural a Eliziane caminhar com o Flávio”, se posicionou.

      O imparcial

Até o vice-presidente do PPS e um dos maiores entusiastas da candidatura da parlamentar, Carlos Wellington, já admite a dificuldade de viabilidade de Eliziane entrar na disputa. O empresário já conversa, inclusive, sobre a montagem das chapas proporcionais, ele idealiza uma composição entre Solidariedade, PROS e o PPS, mas também acha que um chapão oposicionista seria um bom negócio.

O presidente do PCdoB, Márcio Jerry, disse que as “conversas estão muito promissoras com Eliziane Gama”, porém não estipula prazo para anunciar qualquer definição. O comunista diz que a parlamentar tem o seu tempo e eles respeitam isso.

Já Roberto Rocha, pré-candidato ao Senado e vice-presidente do PSB, contou que não passa uma semana sem conversar com membros do PPS e que sua relação com Eliziane Gama é muito estreita, desde a eleição municipal de 2012. 

Sobre a adesão da pré-candidata ao grupo oposicionista, ele afirma: “acredito ser possível sim, luto por isso, para que no tempo das convenções, ou melhor, bem antes, possamos anunciar uma única candidatura ao governo e ao senado. Se não for possível, vamos respeitar a posição do PPS e tenho certeza que em algum momento estaremos unidos”.

O socialista chegar ir além, “olha a Eliziane é do nosso campo político. O PPS é o partido responsável pela candidatura do Flávio em 2010, tanto que naquela oportunidade foi indicado o vice pelo PPS”, completou.

Questão nacional

De acordo com o que foi apurado por nossa equipe, outra questão envolve um possível acerto de Eliziane Gama com Flávio Dino: a relação entre Roberto Freire (PPS) e Eduardo Campos (PSB). Os caciques das duas legendas fizeram um acordo em âmbito nacional e decidiram envolver o estado nas negociações.

Roberto trocou seu domicilio eleitoral novamente, voltou para Pernambuco com intuito de garantir a sua eleição de deputado federal. Em troca, o PPS vai apoiar Eduardo Campos para a disputa presidencial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge