segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Corpo de João Castelo é sepultado em São Luís

                        https://jornalpequeno.com.br/media/2016/12/
Foi enterrado no fim da tarde desta segunda-feira (12), no Cemitério Parque da Saudade, o corpo do ex-governador e deputado federal, João Castelo (PSDB). O sepultamento foi seguido por uma multidão, que acompanhou o cortejo de cerca de dois quilômetros da Assembleia Legislativa do Maranhão até o Cemitério Parque da Saudade, no bairro Vinhais.
Em frente ao túmulo, se acomodaram em uma tenda para assistir à cerimônia familiares, os filhos, amigos de João Castelo, assim como outras autoridades. Mas o caixão foi rapidamente sepultado, após o toque fúnebre de trombeta.

O corpo do deputado federal João Castelo (PSDB) começou a ser velado às 9h da manhã desta segunda-feira (12), no plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão. O caixão chegou em cortejo às 11h10 no local do velório. Sob aplausos, o corpo de João Castelo foi retirado do veículo da funerária e levado direto para o plenário onde começou a ser velado por familiares e amigos mais próximos.

O corpo de João Castelo deixou a Assembleia Legislativa do maranhão por volta das 16h20, depois de sete horas de velório, em um carro do Corpo de Bombeiros. As filas dos admiradores que queriam ver o caixão de perto ainda estavam enormes no momento. João Castelo morreu na manhã deste domingo (11), no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após falência múltipla dos órgãos em decorrência de complicações causadas ´por uma cirurgia no coração.

Natural de Caxias, distante 281 km de São Luís, João Castelo Ribeiro Gonçalves estava no terceiro mandato como deputado federal. Foi prefeito de São Luís entre 2009 e 2012. Antes, governou o Maranhão de 1979 a 1982. Foi também senador de 1983 a 1991.

Foi durante seu governo no estado que a ponte Bandeira Tribuzzi, o Estádio Castelão (nome alusivo ao próprio governador) e a Italuís foram construídos, assim como Conjunto Maiobão, Cohatrac e Cidade Operária. O Hospital do IPEM (Dr. Carlos Macieira) foi outra obra de sua gestão como governador. Ele foi presidente também do Banco da Amazônia (BASA) em 1970.


(G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge