sábado, 25 de janeiro de 2020

Polícia investiga caso de uma mulher que teria enterrada viva em Tutoia- MA.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, árvore, atividades ao ar livre e natureza

Familiares de uma jovem, identificada por Isale Vilar, de 18 anos, denunciaram, na manhã de sexta-feira (24), que ela foi dada como morta, após um procedimento de parto cesariana, no Hospital Municipal Lucas Veras, na cidade de Tutóia, a 324 km de São Luís. Durante o velório e enterro, a jovem apresentou lacrimejamento e suores pelo corpo, como se ainda estivesse com vida.
Depois de sepultada, ela foi desenterrada por populares, para uma nova avaliação médica. Segundo informações foi constatado que a jovem ainda estava viva. O bebê está fora de perigo e foi entregue para os familiares.

As informações foram que o médico responsável pelo parto teria alegado que a moça havia morrido e chegou a expedir atestado de óbito.

Na manhã de sexta, na localidade Porto de Areia, em Tutóia, a jovem estava sendo velada e depois seguiu para o enterro. Horas depois, ela foi desenterrada por populares. Segundo eles, a jovem teria apresentado lacrimejamento e suores pelo corpo, como se ainda estivesse com vida.


Em seguida, o corpo foi levado para o hospital, onde foi confirmado que ela ainda estava viva, com sinais vitais. Novos atendimentos emergenciais foram realizados na vítima, mas ela terminou morrendo.
Suspeita-se que teriam aplicado uma anestesia muito forte e, após o parto, ela não conseguiu reagir.


"Durante o velório, parece que algumas pessoas disseram que viram cair lágrima dos olhos, a temperatura não era fria e disseram que ela estava vida. Foram até o hospital novamente, foi mandado uma equipe médica, e parece que a moça estaria viva ainda, mas quando foi levada ao hospital veio realmente a óbito. A gente segue investigando", disse o delegado Cristiano Morita.


O delegado assistente Alessandro Castro, da Superintendência de Polícia do Interior (SPCI), disse que o corpo foi encaminhado para o IML, com objetivo de determinar as causas do óbito. O inquérito já foi aberto e as pessoas envolvidas no caso serão ouvidas na próxima semana.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, atividades ao ar livre e natureza
             Fonte:JP

Nenhum comentário:

Postar um comentário