sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Legista do caso PC Farias contesta PM de SP e diz que filho de sargentoda Rota foi assassinado

                 Arte/UOL

Ao analisar as fotos do local em que os corpos de Marcelo e dos pais foram encontradosSanguinetti afirma que a posição do adolescente não é compatível com a de um suicídio, e sim, com a de um assassinato. "A posição em que o corpo do menino caiu, com a mão direita em cima do lado esquerdo da cabeça, e o braço esquerdo dobrado para trás, com a palma da mão esquerda aberta para cima, não é compatível com a posição de um suicida, e sim, de uma pessoa que foi assassinada", diz Aliny Gama/UOL

 O médico legista George Sanguinetti, que ficou conhecido por refazer o laudo das mortes do casal Paulo Cesar Farias e Suzana Marcolino e apontar que eles foram assassinados em 1996, afirmou ao UOL que o filho do casal de policiais militares paulistas Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13, também foi assassinado junto com os pais.

"A posição em que o corpo do menino caiu, com a mão direita em cima do lado esquerdo da cabeça e o braço esquerdo dobrado para trás, com a palma mão esquerda aberta para cima, não é compatível com a posição de um suicida, e sim, com a de uma pessoa que foi assassinada", declarou. A tese deu o que falar. Veja esta e mais frases da semana.
                      

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge