quarta-feira, 20 de novembro de 2013

O Bolsa eleição da Roseana Sarney voltou

                        BOLSA ELEIÇÃO
O caso que ganhou repercussão nacional voltou a ser temas de debates no plenário da Assembleia e parlamentares afirmam que MP que recria o “Bolsa Eleição” já foi encaminhada para apreciação da Assembleia e vai custar R$ 4,5 milhões de reais ao ano
Quatro meses depois de ganhar repercussão nacional, o “Bolsa Eleição” voltou a ser questionado pela bancada oposicionista da Assembleia Legislativa.  O deputado Rubens Júnior (PCdoB) denunciou que  o Governo do Estado reativou o Conselho de Gestão Estratégica, o “Conselhão”, que garante a políticos derrotados, aliados da governadora Roseana Sarney, benesses mensais de R$ 5.850.
O parlamentar informou que a nova versão do “Conselhão” o vice-governador, alguns membros importantes do governo, todos os secretários e mais 20 pessoas nomeados entre os aliados políticos do Palácio dos Leões, vão custar aos cofres públicos R$ 4,5 milhões de reais ao ano. “É mais do que se vai investir no Cintra, por exemplo, é mais do que se vai investir na secretaria de turismo, em ano de copa do mundo.” Destacou o deputado.
 
A Medida Provisória que trata da criação deste conselho já foi encaminhada para Assembleia Legislativa que deve ainda apreciá-la e deliberar a respeito da aprovação da MP
O “Bolsa Eleição” foi criado por meio de medida provisória 147, de autoria do Executivo, aprovado no dia 28 de maio e garantiu a manutenção de 206 políticos aliados alojados na administração pública.  Uma única reunião mensal acarretaria um custo de R$ 1,2 milhão aos cofres público .Depois de inúmeras denúncias, divulgação na imprensa e a pressão popular, o governo do estado chegou a extinguir o “Conselhão”.
                                   
Maranhão da Gente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge