sábado, 28 de junho de 2014

Nos pênaltis, Brasil despacha Chile, transforma sofrimento em festa e mantém sonho do hexa


Foi no sofrimento, mas o Brasil está classificado para as quartas de final da Copa do Mundo. Os anfitriões tiveram um jogo tenso do começo ao fim, que se arrastou por 120min em um Mineirão colorido de verde-amarelo, neste sábado. Depois de 1 a 1 no tempo normal e sem gols na prorrogação, a Seleção Brasileira derrotou o Chile por 3 a 2 na disputa de pênaltis. A torcida foi à loucura no Gigante da Pampulha, quando Jara acertou a trave esquerda de Julio Cesar e decretou o triunfo canarinho nos tiros livres.

No tempo normal, em um jogo arrastado, Brasil e Chile ficaram no empate por 1 a 1, com os dois gols saindo na etapa inicial. David Luiz abriu o placar aos 18min, enquanto Alexis Sanchez igualou aos 32min. Na segunda parte, os ataques não voltaram a balançar as redes, sendo que o time chileno poderia até ter provocado um ‘Mineirazo’ e triunfado diante da Seleção. Na prorrogação, com o nervosismo e a tensão a mil, as equipes pouco fizeram. Nos pênaltis, o sofrimento terminou depois de dez cobranças, até que Neymar fez 3 a 2 e Jara errou. Foi o ponto de partida para a festa no Mineirão, nas ruas de BH e em todo o país.

A torcida foi um show à parte no Mineirão, com 57.174 presentes, o que ainda não significou o recorde de público no novo estádio da Pampulha. Mas a festa foi garantida com o erro de Jara. Os brasileiros aplaudiram de pé os jogadores, tendo como alvo o goleiro Julio Cesar, que defendeu duas cobranças, de Pinilla e Sánchez. Classificada, a Seleção aguarda o ganhador de Colômbia x Uruguai para conhecer o próximo adversário no caminho do hexa.

As estatísticas oficiais do jogo




O dramático jogo

O primeiro tempo teve o Brasil mais efetivo, enquanto o Chile apostava no toque de bola, procurando investir em um lance de velocidade. A Seleção usou bem o apoio da torcida e pressionou bastante a defesa do adversário, marcando forte na saída de bola. O jogo também teve muitas divididas e faltas, algumas até mais ríspidas, com certo trabalho para o árbitro Howard Webb.

A pressão inicial brasileira fez com que o Chile se perdesse um pouco em campo. E o Brasil aproveitou bem a instabilidade do adversário para abrir o placar, aos 18min. Hulk bateu forte e o goleiro Bravo mandou a escanteio. Na cobrança, pela esquerda, Thiago Silva desviou de cabeça, David Luiz dividiu com Jara, sendo que o chileno tocou para as redes. Mas o gol foi confirmado para o zagueiro brasileiro: 1 a 0. Festa verde-amarela no Mineirão.
O gol deixou o Chile ainda mais confuso em campo. Os homens de frente não conseguiam trocar passes, enquanto a defesa seguidamente facilitava para o Brasil, errando na saída de bola. Os andinos procuravam as laterais, explorando as costas de Daniel Alves e Marcelo. Mas faltava alguém para municiar os atacantes Alexis Sánchez e Vargas.

O Brasil adotou postura inteligente, se armando para os contra-ataques, sempre com Neymar lançado entre os defensores rivais. O atacante brasileiro, aliás, sofreu com a marcação constante e o banco verde-amarelo se revoltou em alguns momentos. Os chilenos controlaram os nervos e buscaram mais as tabelas. E conseguiram o empate até então pouco provável. Em um vacilo de Hulk e Marcelo, Vargas foi esperto e tocou a Sanchez, que mandou para as redes, aos 32min: 1 a 1.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge