sexta-feira, 10 de julho de 2015

Mãe dá a luz durante voo em helicóptero, no Maranhão

                      Equipe do GTA, mãe e bebê resgatado do Maranhão (Foto: Joyce Mackay / G1)
Não tem explicação: O bebê estava sem pulso desde às 8h da manhã, chegamos lá por volta das 14h então era inviável que tivesse vida ainda. Ela nasceu morta e sem nenhuma explicação começou a respirar”, relatou o médico Rafael Machado, que participou de um salvamento inusitado nesta quarta-feira (8), na cidade de Santo Amaro, a 237 km de São Luís.
 O Grupo Tático Aéreo do Maranhão (GTA) foi acionado pela equipe do Hospital Municipal Monsenhor Amaro por volta das 12h da quarta-feira após ser constatada a ausência de sinais vitais do bebê que estava no canal de parto da mãe. "Eles disseram que eu não estava nada bem e que minha filha estava morta. Então pediram o helicóptero”, contou a mãe Maria da Conceição Souza, de 36 anos.

A equipe de salvamento chegou ao local para tentar salvar a vida da mãe, mas foi durante o voo entre Santo Amaro e São Luís que o inesperado aconteceu. A dez minutos de chegar no destino final, Maria da Conceição começou a sentir novamente contrações. “Ela virou para mim e disse estou expulsando. A criança nasceu às 15h40 sem sinais vitais. Eu chequei pulso, coraçãozinho e não tinha nada. De repente por um milagre divino ela começou a respirar e dar sinais de vida”, disse o médico.
Ela não tinha pulso. De repente por um milagre divino ela começou a respirar e dar sinais de vida"
Rafael Machado, médico
Para o piloto, Capitão Onildo Sampaio, esse voo foi o mais marcante da sua vida profissional. “Este foi meu voo mais emocionante. Comprova que a vida é realmente a confirmação de um ato de Deus”, disse
.
                                     Bebê nasce durante voo de helicóptero do GTA (Foto: Divulgação)
Piloto do GTA há 9 anos, Sampaio teve que segurar as pernas da mãe para que a equipe médica pudesse fazer o parto dentro da aeronave. “Nessas horas você tem que conciliar a emoção e o lado profissional para continuar o voo”, contou o capitão.
Apesar do longo tempo sem oxigenação a bebê Vitória passa bem e não teve nenhuma sequela. O nome foi sugerido pelo médico que registrou o fato como um verdadeiro milagre. “Foi muito emocionante. Eu sugeri Vitória porque realmente foi uma vitória”, disse Rafael Machado.

Maria da Conceição Souza já é mãe de outras três meninas e um menino. Agora ela comemora a vitória ao lado da sua caçula. “Foi um milagre! Só Deus e essa equipe para me salvar. Hoje eu estou aqui com a minha filha”, disse a mãe.
Extraida do G1 MA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Badge