BRASIL

    

Bolsonaro: “Falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira, é um discurso populista”

 Jair Bolsonaro fome
Jair Bolsonaro recebeu pela primeira vez, nesta sexta-feira, 19, a imprensa estrangeira desde que assumiu o cargo como presidente do Brasil, em primeiro de janeiro. Não foi uma entrevista coletiva de imprensa tradicional, mas um café da manhã com representantes de 12 veículos convidados, incluindo o EL PAÍS. "A imprensa tem uma imagem distorcida de quem eu sou", disse Bolsonaro, abrindo a conversa, na qual cada jornalista pôde fazer uma única pergunta, sem direito a complementos. "Entendo perfeitamente o tamanho do envenenamento do Brasil lá fora", seguiu ele, ao lado de dois de seus ministros, o general da reserva Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Nacional, e Onyx Lorenzoni, da Casa Civil.
"Falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira. Passa-se mal, não come bem. Aí eu concordo. Agora, passar fome, não", afirmou o presidente. Bolsonaro respondia a um questionamento do EL PAÍS sobre o aumento da pobreza e da desnutrição no país, tema que preocupa o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, conforme disse em entrevista a este jornal nesta semana. "Você não vê gente, mesmo pobre, pelas ruas com físico esquelético como a gente vê em alguns outros países pelo mundo", completou o mandatário.  Bolsonaro disse ainda que falar de fome é um "discurso populista".
A preocupação com o tema não é só de Rodrigo Maia. Especialistas na matéria apontam a resiliência da crise econômica e do desemprego como fatores que pressionam os índices de fome e miséria. No Brasil, menos de 2,5% da população ainda se encontra em grave situação alimentar, segundo o relatório sobre o Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo, apresentado em 2019 pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO). Os dados, referentes ao biênio 2016-2018, não detalham cifras, mas dele se depreende que menos de 5,2 milhões de brasileiros passaram ao menos um dia inteiro sem comer ao longo do ano.
A FAO elabora anualmente os índices de pessoas que passam fome ou são subnutridas no mundo, com informações fornecidas pelos próprios países. Os dados sobre o Brasil têm se mantido relativamente estáveis desde 2009, em um patamar menor que 2,5% da população. Em 2014, a organização da ONU tirou o Brasil do Mapa da Fome —composto por países em que mais de 5% da população consome menos calorias do que o recomendado. Há o temor, entretanto, de que, com a persistência da crise, o país possa voltar a fazer parte deste grupo de países. Segundo o IBGE, entre 2016 e 2017 a pobreza no Brasil passou de 25,7% para 26,5%. O número de extremamente pobres, aqueles que vivem com menos de 140 reais mensais, saltou de 6,6%, em 2016, para 7,4%, em 2017.
Ao comentar o estado da fome e da miséria no país, Bolsonaro voltou a criticar programas de transferência de renda, como o Bolsa Família. "Agora adotou-se no Brasil, do Governo de Fernando Henrique para cá, depois o PT, que distribuição de riquezas é criar bolsas. Somos o país das bolsas! E o que faz tirar o homem ou a mulher da miséria é o conhecimento", disse o presidente, sem citar o Bolsa Família, que distribui 28 bilhões de reais aos mais miseráveis e é apontado com um fator que ajudou a combater a insegurança alimentar no país. Apesar das críticas, seu Governo promete um complemento inédito no Bolsa Família neste ano, espécie de décimo terceiro para os beneficiários.
Foi a quarta vez que Bolsonaro se reuniu em café da manhã com jornalistas. O presidente já havia convidado jornalistas brasileiros para os três anteriores. Durante a conversa, que durou uma hora e vinte, ele garantiu que é totalmente favorável à liberdade de imprensa e de redes sociais "mesmo que publiquem mentiras", provocou Bolsonaro, sendo fiel ao seu estilo de lançamento de frases de efeitos que colidem com o mundo inteiro. O presidente falou ainda de meio ambiente ("estou convencido de que os dados de desmatamento são mentira") e sobre relações internacionais e comerciais  ("possíveis acordos comerciais com a China e Japão são bem-vindos").
ELPAIS

Secretário de Aldeias Altas-MA é preso suspeito de fraudar processo licitatório

Uma ação do Ministério Público do Maranhão e a Polícia Civil culminou na prisão de duas pessoas ligadas diretamente com a administração da cidade de Aldeias Altas, distante 399 km da capital maranhense.
A operação foi coordenada pela 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Caxias e as unidades do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), de São Luís e Timon, bem como a Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor ) e a Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI).
Os órgãos deram cumprimento a mandados de prisão temporária e de busca e apreensão, na manhã desta terça-feira (16), nas cidades de Aldeias Altas, Caxias e São Luís, em razão de decisão judicial da 2ª Vara Criminal da Comarca de Caxias.
Foram presos temporariamente Antônio José de Sousa Paiva, que é secretário Municipal de Infraestrutura de Aldeias Altas, e Jaime Neres dos Santos, presidente da Comissão Permanente de Licitação da mesma cidade.
Jaime Neres também foi preso em flagrante por posse ilegal de arma e o primeiro por subtração de documento público.
Mais mandados abertos
Ainda estão em aberto os mandados de prisão temporária de Melissa Lima Barroso, Paulo Roberto Feitosa Wanderley, Paulo Valério Mendonça e George Luis Damasceno Borralho, que podem ser considerados foragidos, caso não se apresentarem espontaneamente.
A investigação
A decisão judicial, que resultou na operação, atendeu pedido da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Caxias, que apura possíveis irregularidades na contratação da empresa ML Barroso Moura-ME para a realização de serviços de limpeza urbana em Aldeias Altas no ano de 2017, cujo contrato foi aditivado nos anos de 2018 e 2019.
De acordo com a investigação, o procedimento licitatório foi superfaturado, bem como foram identificados indícios de associação criminosa com o objetivo de fraudar a licitação, envolvendo tanto a empresa vencedora do certame como também uma das perdedoras, a Impacto Construção Civil Ltda., cujo responsável legal, Paulo Valério Mendonça, recebeu mais de R$ 1 milhão da empresa ML Barroso Moura-ME.
Além disso foi constatado que a empresa investigada também fez transferências bancárias para familiares do secretário Municipal de Infraestrutura, Antônio José Sousa Paiva, e do presidente da Comissão Permanente de Licitação, Jaime Neres dos Santos.
(O Imparcial)

Eclipse parcial da Lua poderá ser visto em todo o Brasil; veja os horários


Eclipse parcial na lua em 2018, no céu do Rio de Janeiro — Foto: Marcos Serra Lima/G1
Na noite desta terça-feira (16), quando o mundo celebra 50 anos desde que a missão Apollo 11 decolou da Terra rumo à Lua, o Brasil poderá ver um eclipse lunar parcial. O fenômeno ocorre quando Sol, Terra e Lua se alinham, e nosso planeta faz sombra sobre o satélite.
O eclipse poderá ser visto a partir das 17h01 (horário de Brasília) e, no total, terá duração de mais de cinco horas, parecido com o que ocorreu em janeiro deste ano.
"O eclipse lunar, em geral, dura bastante tempo. Desta vez será em um horário bom, porque vai ser próximo do pôr do sol, e a Lua vai estar em uma posição relativamente alta no céu", disse ao G1 Thiago Signorini Gonçalves, astrônomo da UFRJ e membro da Sociedade Astronômica Brasileira.
Programe-se (horários de Brasília):
A duração da fase de umbra (quando a sombra da Terra começa a ser observada na Lua) será de 2 horas e 51 minutos. Já considerando todo o período do eclipse, incluindo a fase de penumbra (quando a sombra da Terra sobre a Lua ainda é vista de forma borrada), a duração total do fenômeno chega a 5 horas e 33 minutos.
·         15h43: início da fase de penumbra
·         17h01: início da fase da umbra
·         19h52: fim da fase da umbra
·         21h17: fim da fase da penumbra

Não é preciso usar óculos de proteção

Diferentemente de um eclipse solar – quando o que fica "escondido" é o Sol –, para observar o fenômeno lunar não é preciso óculos de proteção.
A visão da Lua é a olho nu, mas é mais fácil assistir ao fenômeno em áreas menos iluminadas e com o horizonte livre.

G1
·          


Sem 'Lua de sangue' desta vez

Thiago Gonçalves explica que este eclipse, por ser parcial, não provocará o fenômeno da "Lua de sangue". Para isso acontecer, seria necessário que os astros se alinhassem perfeitamente, como aconteceu em 21 de janeiro.
"O alinhamento não será perfeito e isso impede a visualização da 'Lua de sangue', que é quando o satélite adquire tons avermelhados. Isso acontece porque a Terra se sobrepõe ao Sol e os raios solares atravessam a atmosfera terrestre ganhando esta coloração", explica Gonçalves.
Essa mudança de cor é provocada pelos mesmos fatores que fazem o céu ser azul e pode ser observada em todos os eclipses totais da Lua.
O fenômeno da Lua de Sangue — Foto:  Alexandre Mauro/G1O fenômeno da Lua de Sangue — Foto:  Alexandre Mauro/G1
 Atriz global Patrícia Araújo de 37 anos morre  após quadro de depressão
            Instagram/Reprodução
A atriz transexual Patrícia Araújo, conhecida por atuar na novela Salve jorge (2012), da Rede Globo, morreu neste sábado (6), aos 37 anos de idade. A carioca estava internada há dez dias em um hospital no Rio de Janeiro, e sofria de um quadro de depressão.
Araújo já foi destaque do Fashion Rio em 2009 e foi eleita musa do camarote da Marquês de Sapucaí. Em Salve jorge" ela interpretava uma das vítimas do tráfico de mulheres na Turquia. Através das redes sociais, Gloria Perez, autora da novela, comentou a  morte: "Que triste! Tão bonita, tão jovem", escreveu.

O estilista Beto Neves, que já trabalhou com a atriz, escreveu no Facebook: "Faleceu sábado minha amiga querida. Trajetória nem tão curta pra quem foi expulsa de casa aos 11 anos. Em 2009 foi eleita como a mulher mais bonita do camarote da Grande Rio no Carnaval Carioca. No mesmo ano que brilhou no meu desfile no Fashion Rio. No fundo uma menina, porém a depressão foi mais forte. Não resistiu!".
--------------------------------------------------------


Araújo já foi destaque do Fashion Rio em 2009 e foi eleita musa do camarote da Marquês de Sapucaí. Em Salve jorge" ela interpretava uma das vítimas do tráfico de mulheres na Turquia. Através das redes sociais, Gloria Perez, autora da novela, comentou a  morte: "Que triste! Tão bonita, tão jovem", escreveu.

O estilista Beto Neves, que já trabalhou com a atriz, escreveu no Facebook: "Faleceu sábado minha amiga querida. Trajetória nem tão curta pra quem foi expulsa de casa aos 11 anos. Em 2009 foi eleita como a mulher mais bonita do camarote da Grande Rio no Carnaval Carioca. No mesmo ano que brilhou no meu desfile no Fashion Rio. No fundo uma menina, porém a depressão foi mais forte. Não resistiu!".
Um empresário deu um tiro na cabeça na manhã de hoje, em Aracaju, durante evento com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e com o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas. O tiro foi disparado após o discurso de Chagas na abertura do evento, que ocorria dentro de um hotel de luxo. O empresário identificado como Sadi Paulo Castiel Gitz, 70, é líder da empresa de cerâmica Escurial, com sede em Nossa Senhora do Socorro (na Grande Aracaju). Ele foi um dos convidados do "Simpósio de Oportunidades - Novo Cenário da Cadeia do Gás Natural em Sergipe", em Aracajú.
Segundo uma testemunha, o empresário aguardou o momento em que o governador falava ao público, levantou-se e disse: "Governador, o senhor é um mentiroso". Em seguida, ele fez um disparo com a arma de fogo. "Houve um grande desespero após o tiro, foi algo horrível, todos ficaram consternados", disse a testemunha, que pediu para não ter o nome revelado. O evento era transmitido nas redes sociais do governador de Sergipe. No vídeo, é possível ouvir o disparo e, em seguida, os participantes deixam correndo o local. Em nota, o governo do estado de Sergipe lamentou o suicídio e informou que o evento foi cancelado. A empresa que era presidida pelo empresário estava em crise e havia ministro-e-governador. A empresa que era presidida pelo empresário estava em crise e havia anunciado paralisação da produção. Em nota, a empresa havia afirmado que "o motivo determinante para essa decisão foi o preço do gás cobrado pela concessionária SERGAS - Sergipe Gás S.A, empresa do Governo do Estado de Sergipe.
Moro tentar se manter no cargo após novas denúncias  feitas pela a veja e Intercept
                       
Acossado pelas denúncias veiculadas na reportagem Intercept-Veja, que revela em detalhes o direcionamento e a manipulação dos processos da Lava Jato, o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, emitiu uma nota, onde tenta desmentir os diálogos transcritos por meio do aplicativo Telegram, visando se manter no cargo. Utilizando os mesmos argumentos que nortearam os seus depoimentos na Câmara e no Senado, Moro voltou a dizer que “não reconhece a autenticidade de supostas mensagens obtidas por meios criminosos e que podem ter sido adulteradas total ou parcialmente” e que “repudia ainda a divulgação distorcida e sensacionalista de supostas mensagens obtidas por meios criminosos”. 
Confira a íntegra da nota de Sérgio Moro sobre o assunto. 
Brasília, 05/07/2019 - Sobre a reportagem da Revista Veja:
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, não reconhece a autenticidade de supostas mensagens obtidas por meios criminosos e que podem ter sido adulteradas total ou parcialmente. Lamenta-se que a Revista Veja se recusou a encaminhar cópia das mensagens antes da publicação e tenha condicionado a apresentação das supostas mensagens à concessão de uma entrevista, o que é impróprio. De todo modo, alguns esclarecimentos objetivos:

Nenhum comentário:

Postar um comentário